Segunda, 25 de janeiro de 2021
84 98628 6001
Concursos

09/10/2019 às 10h09

280

Adrovando Claro

Natal / RN

Bacurau
Premiado em Cannes, Bacurau, conta a história de uma pequena comunidade
Bacurau

Por Mycleison Costa


Premiado em Cannes, Bacurau, filme dos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, conta a história de uma pequena comunidade pernambucana que, além de sofrer com a péssima gestão do governo, passa a se ver atacada por um grupo de americanos que possuem um único objetivo: exterminar toda a população local. 


No enredo distópico e sanguinário, o povo bacurauense decide se unir para, ao lado de um fora de lei chamado “Lunga”, se defender dos ataques dos estrangeiros. A história empolga e o tempo sentado na cadeira do cinema parece correr à passos largos, entretanto, como boa obra que é, por traz da ficção contada há uma grande reflexão sobre a atual situação da política brasileira.


Reflexão essa que, segundo a colunista Aparecida Fernandes, é sobre um “poder que resiste e enfrenta a barbárie”, mas que para o historiador Durval Muniz é perigosa, pois extrapola a linha que separa as reações sensatas, frutos de uma resistência inteligente, de um discurso de ódio próprio do fascismo.


Na guerra das reflexões, mesmo gostando de Bacurau, fico com o Durval Muniz. Realmente existe a construção de um discurso extremado, que finda na barbárie e parece se satisfazer com ela. Parafraseando o historiador, alguém gostaria de viver, afinal, sob as rédeas do governo de um Lunga e seus asseclas? 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2021 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium