domingo, 23 de janeiro de 2022
84 98628 6001
Cultura

28/11/2021 às 10h14

66

Adrovando Claro

Natal / RN

A fotografia: uso e abuso na história.
A fotografia tem o dom do encantamento, ver imagens da cidade em épocas distantes nos provoca misto de saudosismo e reflexões sobre o espaço urbano e suas permanências e transformações.
A fotografia: uso e abuso na história.

A fotografia tem ao longo de sua “criação” se constituído em uma importante fonte de informação histórica, a imagem produzida em uma época fornece ao historiador as inquietações tão necessárias no seu  ofício. Assim: “O ato fotográfico possibilita a construção de histórias e memórias e, as múltiplas possibilidades de abordagens e conexões entre fotografia e memória constituem-se num dos principais vetores de estudo da imagem fotográfica.


Com a democratização do registro fotográfico ao longo do século XX, a imagem passa a ser um suporte predominante na estruturação de memórias coletivas e individuais.”(ABRANTES, Vera Lucia Cortes. Imagens produzidas pelo fotógrafo Tibor Jablonsky: suportes materiais na construção da memória do trabalho no Brasil (1950-1968). ANPUH - Rio de Janeiro, 2011). A fotografia tem o dom do  encantamento, ver imagens da cidade em épocas distantes nos provoca misto de saudosismo e reflexões sobre o espaço urbano e suas permanências e transformações.


O olhar do fotógrafo ao captar o instantante em clicks deixa para a “eternidade” a cena a ser observada como um elemento da memória afetiva ou uma fonte historiográfica. Dentre os álbuns de famílias ou os acervos institucionais, tecemos a colcha de retalhos da história. As expedições do IBGE por essa imensidão de país, possibilitou o registro do desenvolvimento, das amarguras e conquistas de novos espaços. Faço o registro de Tibor Jablonsky, fotógrafo do IBGE, que com sua máquina saiu por terras rurais e urbanas “clicando” o Brasil.


Natal foi um dos destinos fotografados pelos técnicos da instituição do censo brasileiro, entre 1950 e 1968.Como disse o poeta Mário Quintana: “O passado não reconhece o seu lugar: está sempre no presente…” Assim, penso sobre a fotografia, então, façamos uso e abuso, dessa fonte histórica.


Das ruas às redes: Quinta da História


(Foto: Tibor Jablonsky - Vista parcial da Ribeira e Cidade Alta/Natal - acervo: IBGE / Texto: Professor Luciano Capistrano).


 

FONTE: Luciano Capistrano

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2022 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium