Segunda, 25 de janeiro de 2021
84 98628 6001
Esportes

21/11/2020 às 16h21

69

Adrovando Claro

Natal / RN

Krav Magá e defesa contra facas - a arma mais usada para matar mulheres
Os casos de feminicídio no Brasil ocorrem, em grande parte dos casos, no ambiente doméstico
 Krav Magá e defesa contra facas - a arma mais usada para matar mulheres

A defesa contra facas é uma modalidade presente no krav magá implantada por Imi Lichtenfeld, criador da defesa pessoal. A eficiência dessa modalidade foi comprovada na Guerra da Independência do Estado de Israel em 1948. Como se trata de uma modalidade voltada para o treinamento militar, poucas pessoas tiveram acesso ao aprendizado, sobretudo voltado para a defesa no dia a dia.


De acordo com uma pesquisa realizada no Ministério Público em 2018, foices, canivetes e outros tipos de arma branca, são comumente usados por agressores em ambientes domésticos, principalmente em casos de feminicídio e agressão contra a mulher. Os dados ainda apontam que (58%) dos casos de arma branca infelizmente foram causas de morte.


As armas de fogo representam (17%) dos casos de morte e na sequência aparecem os objetos domésticos como panela de pressão, cabos e móveis em (11%), além de situações de asfixia em cerca de (10%) dos acontecimentos.


Durante o treinamento e as aulas de krav magá o aluno aprende a defesa contra facas em situações de ataque. O professor e membro da Federação Sul Americana de Krav Magá, Dionesio Mariosi, explica que aprender esse tipo de defesa é fundamental no dia a dia.


“A defesa contra facas é apresentada ao longo do desenvolvimento e treino do aluno no krav magá. Geralmente essa modalidade é ensinada na faixa preta, quando o aluno já possui certa bagagem”, argumenta.


Combatendo o feminicídio


Os casos de feminicídio ocorrem na maioria das vezes em situações domésticas. A coordenadora do núcleo do núcleo de gênero do MP e promotora, Valéria Scarance, alerta em entrevista que ao se tratar da violência contra a mulher são necessárias estratégias e prevenção além de iluminação nas ruas e policiamento.


“As armas domésticas são as mais utilizadas e quando a mulher está em situação de vulnerabilidade e não sabe se defender, está em risco e pode infelizmente perder a vida”, acrescenta o professor.


O krav magá e a defesa pessoal são essenciais no comnbate ao feminicídio e a violência em ambientes urbanos. A prática é destinada para qualquer pessoa, independente de gênero ou idade, podendo aprender do zero.


O professor pontua que não é necessário ter força física, para aprender a defesa contra facas, por exemplo, ou qualquer contato prévio com arte marcial.


“Até crianças podem aprender krav magá e também se beneficiam com a atividade física e a disciplina exigida na modalidade, além de aprender a se defender em situações perigosas”, diz.


O que o aluno irá aprender durante as aulas de krav magá:


A defender-se em situações de risco e proteger a própria integridade;


Adquirir autoconfiança e segurança para reagir na hora certa;


Adquirir disciplina e respeito para com o próximo;


Ter contato com os potenciais e limites nos âmbitos físicos e psicológicos;


Aprender uma defesa pessoal que lhe será útil por toda a vida.


Principais mitos sobre o krav magá:


Mito 1 - É uma luta violenta: muito pelo contrário, é uma defesa pessoal totalmente contra a violência, ensinando as pessoas a se defenderem contra ataques;


Mito 2 - Exige força física: o que irá exigir é somente treino e não força. A modalidade de krav magá explora pontos sensíveis do corpo, logo qualquer pessoa é capaz de agir no momento oportuno para defender a própria vida;


Mito 3 - É uma luta somente para policiais e homens: é uma defesa voltada para todos os cidadãos, independente da idade ou gênero. Todos devem aprender a se defender, pois nem sempre há tempo para chamar polícia ou pedir por socorro.


A autodefesa em situações de feminicídio é fundamental, principalmente ao se tratar da prevenção. Independente do gênero e idade. “Na Federação Sul Americana sempre reforçamos sobre a participação das mulheres nas aulas por conta de todos esses dados diários sobre o feminicídio”, alerta.


Mariosi garante que as aulas são 100% seguras, com a atuação de professores formados pela Federação e instruídos pelo mestre Kobi, o disseminador do krav magá em toda América do Sul. Existem academias de krav magá credenciadas em diversos estados do Brasil e o aluno pode realizar uma aula experimental gratuitamente para conhecer.


*O professor Dionésio Mariosi é referência e membro da Federação Sul Americana de Krav Magá.


 

FONTE: Daiana Barasa

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2021 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium